Segunda, 21 de maio de 201821/5/2018
55996230597 -- 55999899863 -- 55997318413
Banner 1
ECONOMIA
Cartão De Crédito: Fim Do Pagamento Mínimo. Juros Limitados
Jooh Silvestre Redentora - RS
Postada em 27/04/2018 ás 09h16
Cartão De Crédito: Fim Do Pagamento Mínimo. Juros Limitados

Foto: Divulgação

A cobrança de juros e o pagamento mínimo do cartão de crédito terão mudanças a partir de 1º de junho.


O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou nesta quinta-feira,26, a limitação no valor dos encargos em caso de atraso.


Também foi aprovado o fim da exigência de pagamento mínimo de 15% da fatura para o cliente que entrar no chamado “rotativo regular”.






Os clientes que optam por não fazer o pagamento mínimo e financiar o restante da fatura (rotativo regular) e ficam inadimplentes, acabam hoje no chamado “rotativo não regular”, em que as taxas de juros são mais altas.


A outra medida aprovada pelo CMN nesta quinta limita justamente os juros e encargos que o cliente está sujeito quando entra no rotativo não regular.


A partir de 1º de junho, as operadoras de cartão deverão aplicar a mesma taxa vigente no contrato de crédito rotativo regular.


As únicas cobranças extras que serão permitidas pelo conselho, a partir de junho, são multa de 2% sobre o valor e juros de mora de 1% ao mês. Essas cobranças já são feitas hoje em dia.


Entenda


Na prática, segundo o Banco Central, a taxa do rotativo não regular migrará para a taxa do rotativo regular.


A decisão segue entendimento do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) de que as instituições não podem cobrar taxas além das definidas no contrato.


Portanto, pela nova regra, a taxa contratual, isto é, a taxa do rotativo regular, deverá ser mantida inclusive em situação de eventual inadimplência.


A instituição não poderá, por exemplo, aplicar nova taxa em substituição – o que valerá é a taxa do rotativo regular, a multa (de 2%, paga uma única vez) e os juros de mora (de 1% ao mês).


Antes


Desde abril do ano passado, o consumidor só pode fazer o pagamento mínimo de 15% do cartão por um mês.


Na fatura seguinte, o banco não pode mais rolar a dívida. O cliente tem que pagar o valor total ou parcelar a dívida em outra linha de crédito, com o juro mais barato.


Antes dessa regra, o cliente podia pagar o mínimo da fatura por vários meses consecutivos, “rolando” a dívida. O problema é que o juro do cartão de crédito é um dos mais caros da economia e a dívida muitas vezes ficava impagável.


FONTE: Com informações do G1
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados

contador gratuito

Site desenvolvido pela Lenium