Sexta, 20 de julho de 201820/7/2018
55996230597 -- 55999899863 -- 55997318413
Banner 1
GERAL
Inscrições para concurso que escolherá projeto do memorial às vítimas da Kiss acabam nesta segunda-feira
Podem participar arquitetos de todo o país. No memorial, será construído um espaço para abrigar a memória das vítimas da tragédia, que completou cinco anos em janeiro de 2018.
Gilmar Machado Redentora - RS
Postada em 19/03/2018 ás 11h13 - atualizada em 19/03/2018 ás 18h28
Inscrições para concurso que escolherá projeto do memorial às vítimas da Kiss acabam nesta segunda-feira

Fachada da Boate Kiss ganhou nova pintura em homenagens aos cinco anos da tragédia (Foto: Flávio da Silva/AVTSM/Divulgação)


As inscrições para o concurso nacional para escolher o projeto do memorial às vítimas da tragédia na boate Kiss, em Santa Maria, terminam nesta segunda-feira (19). Arquitetos de todo o país podem participar. O projeto escolhido será conhecido no dia 10 de abril.




O memorial será construído no local onde funcionava a Boate Kiss, que foi desapropriado pela prefeitura da cidade e será demolido para receber a obra. De acordo com o Instituto dos Arquitetos do Brasil, que coordena o concurso, o espaço servirá para abrigar a memória das vítimas.




O concurso é custeado pela campanha de financiamento coletivo, promovida pela Associação das Vítimas da Tragédia de Santa Maria (AVTSM), que arrecadou R$ 250 mil em doações.




O número de projetos inscritos até agora não foi divulgado, mas o Instituto informa que praticamente todos os estados estão representados, e que o Rio Grande do Sul lidera o ranking.





O caso da Kiss





tragédia ocorreu na madrugada de 27 de janeiro de 2013. O fogo teve início durante a apresentação da banda Gurizada Fandangueira, que fez uso de artefatos pirotécnicos no palco durante um show na festa universitária realizada naquela madrugada. Quatro réus foram responsabilizados, e respondem por 242 homicídios e 636 tentativas.




As chamas no teto se alastraram rapidamente devido ao material inflamável usado como isolamento acústico, que produziu fumaça preta e tóxica. A boate estava superlotada e não havia saída de emergência.




Testemunhas relataram ainda que a Kiss não possuía sinalização interna e que o local ficou às escuras logo que o fogo começou, o que dificultou a saída do público e fez com que muitos frequentadores acabassem no banheiro, onde morreram asfixiados.






Os sócios da casa noturna Elissandro Callegaro Spohr, o Kiko, e Mauro Londero Hoffmann, além dos integrantes da banda Gurizada Fandangueira Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Augusto Bonilha Leão aguardam o julgamento em liberdade.



FONTE: G1 RS
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados

contador gratuito

Site desenvolvido pela Lenium