Segunda, 19 de novembro de 2018
55996230597 -- 55999899863 -- 55997318413
Especiais

31/08/2017 ás 17h35

Gilmar Machado

Redentora / RS

Criança faz procedimento para tirar parte de hand spinner do estômago, em Porto Alegre
Sociedade de Pediatria emitiu um alerta aos pais para redobrarem o cuidado
Criança faz procedimento para tirar parte de hand spinner do estômago, em Porto Alegre
Foto: Marco Favero /Agencia RBS

Uma criança de quatro anos precisou passar por procedimento de endoscopia em Porto Alegre para retirar do estômago uma bateria de hand spinner. O caso aconteceu no início de agosto no Hospital da Criança Conceição e foi atendido pela médica gastroenterologista Ana Regina Ramos, que também é diretora da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul. O fato fez a entidade emitir um alerta aos pais para redobrarem a atenção para este brinquedo.


A médica relatou que a criança ganhou o brinquedo dos pais à tarde e à noite já foi levado ao hospital pois havia engolido uma das baterias, que faz as luzes do brinquedo piscarem enquanto ele é girado. A médica explica que a endoscopia foi necessária pois há o risco de a pilha causar descarga elétrica e queimar os órgãos, ou ainda de vazar o ácido, causando uma lesão hemorrágica ou até a perfuração do esôfago.


Em junho, o Inmetro divulgou um alerta sobre o brinquedo e contraindicou que crianças com menos de seis anos tenham acesso ao equipamento. Para quem tem mais de seis, recomenda-se a supervisão de um adulto. Os pais devem atentar para o selo do Instituto, que garante que o brinquedo passou por inspeção de qualidade. O alerta do Inmetro fez o Ministério da Justiça abrir investigação sobre a venda irregular, alegando que no Exterior foram registrados acidentes.


No Brasil, a popularidade do hand spinner teve o ápice nos primeiros meses de 2017. O preço varia de R$ 25, para um spinner básico, de plástico, até R$ 80 para um de metal. A brincadeira consiste em ficar girando o brinquedo. O anúncio do produto fala em propriedades anti-estresse, que acalma crianças, mas ainda não há estudos que comprovem isto. 

FONTE: Rádio Gaúcha

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium