domingo, 17 de fevereiro de 2019
55996230597 -- 55999899863 -- 55997318413
Economia

17/01/2019 ás 10h00

Josoel Silvestre

Redentora / RS

RS já soma R$ 385,9 milhões em prejuízos provocados pelo mau tempo
Cálculo considera perdas em municípios afetados nas últimas semanas. Cifra poderá se multiplicar
RS já soma R$ 385,9 milhões em prejuízos provocados pelo mau tempo
Fotos: Fernando Gomes, Agência RBS

As primeiras estimativas do estrago deixado pelo excesso de chuva no Rio Grande do Sul apontam perdas de pelo menos R$ 385,9 milhões em áreas como lavoura, pecuária, infraestrutura pública e residências.


Esse é um cálculo inicial que leva em consideração um levantamento prévio da Emater em 102 municípios com lavouras de arroz afetadas pelo mau tempo no Estado e danos informados à Defesa Civil pelas três prefeituras que tiveram decretos de situação de emergência homologados e publicados no Diário Oficial até esta quarta-feira (16) — São Gabriel, Alegrete e Uruguaiana.


A cifra poderá se multiplicar de forma significativa à medida que as águas baixarem e mais municípios contabilizarem as consequências do aguaceiro.


Do valor inicialmente apurado, R$ 327 milhões correspondem a uma primeira análise de prejuízos feita pela Emater. A entidade não detectou perdas com impacto significativo em outras culturas até o momento, embora possa haver casos pontuais. O diretor técnico da Emater, Lino Moura, afirma que o montante poderá aumentar ou se reduzir nos próximos dias.


— Precisamos aguardar que a água baixe para verificar de fato o tamanho do estrago. Pode subir, mas também pode ser possível recuperar parte. Por enquanto, é apenas uma estimativa.


A Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) chegou a avaliar que os danos poderiam ser ainda mais abrangentes, chegando a cerca de R$ 720 milhões, mas a Emater não contabilizou prejuízos nesse patamar até o momento. A entidade pretende divulgar um relatório mais preciso amanhã.


Outras perdas já foram comunicadas formalmente à Defesa Civil estadual pelas prefeituras das três cidades mais afetadas pelo mau tempo. Excluída a agricultura dessa conta (para evitar que um mesmo número seja contado duas vezes, já que a Emater realizou um levantamento à parte), sobram outros R$ 58,9 milhões de prejuízo relatados em estradas, infraestrutura urbana, pecuária, comércio, serviços e em residências.  


Prefeituras ainda contabilizam estragos


Esse valor também poderá ser alterado substancialmente, já que outros 10 municípios encaminharam decretos de emergência para a Defesa Civil até esta quarta-feira (16). Esses documentos precisam ser reconhecidos, mediante a análise de dados enviados de cada cidade retratando os problemas, para permitir o acesso a auxílio e recursos dos outros níveis de governo. Além do trio de municípios mais atingidos, que já obteve esse reconhecimento, hoje deverão ser homologados novos decretos. 


 — Muitas prefeituras ainda estão contabilizando os estragos. Muitas vezes encaminham informações básicas apenas para homologarmos a situação de emergência, mas há um prazo de 15 dias para o envio da documentação completa – afirma o tenente Rodrigo Lopes Duarte, analista de processo de homologação da Defesa Civil. 


Quando se consideram todos os estragos comunicados pelas prefeituras ao órgão estadual, incluindo a destruição nas lavouras, a maior parte do prejuízo estimado inicialmente se concentra mesmo na agricultura. São Gabriel apresentou a fatura mais alta até agora, com perdas calculadas em R$ 172 milhões. Alegrete relatou impactos pesados também em suas estradas municipais, com levantamento prévio de R$ 30,8 milhões em estragos provocados pela inclemência da chuva. 


Números iniciais


Dados preliminares informados pelos municípios mais atingidos pela enchente à Defesa Civil


São Gabriel 


Agricultura: R$ 172,389 milhões 


Pecuária: R$ 9,271 milhões 


Estradas: R$ 4 milhões 


Residências: R$ 180 mil 


Uruguaiana 


Agricultura: R$ 60 milhões 


Comércio: R$ 5,3 milhões 


Infraestrutura pública: R$ 3,5 milhões 


Residências: R$ 2,4 milhões 


Serviços: R$ 1,5 milhão 


Pecuária: R$ 113 mil 


Alegrete 


Agricultura: R$ 37,3 milhões 


Estradas: R$ 30,8 milhões


Residências: R$ 1,84 milhão 

FONTE: Gaúcha ZH

Clique nas imagens abaixo para ampliar:
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium