Segunda, 10 de dezembro de 2018
55996230597 -- 55999899863 -- 55997318413
Geral

04/12/2018 ás 16h49 - atualizada em 04/12/2018 ás 16h58

Josoel Silvestre

Redentora / RS

'Pai sempre presente', diz sogro de bancário morto após assaltos em Ibiraiaras
Rodrigo Mocelin da Silva, de 37 anos, foi levado como refém pelos assaltantes e acabou morto na tarde de segunda-feira (3). Velório foi na manhã desta terça (4), em Passo Fundo. Por Cintia Furlani, RBS TV
'Pai sempre presente', diz sogro de bancário morto após assaltos em Ibiraiaras
Pessoas próximas se despediram de Rodrigo nesta terça-feira, no velório — Foto: Reprodução/RBS TV

O corpo de Rodrigo Mocelim da Silva, de 37 anos, foi velado na manhã desta terça-feira (4) em Passo Fundo, no Norte do Rio Grande do Sul. Gerente de serviços do Banco do Brasil em Ibiraiaras, ele foi levado como refém após um ataque à agência na tarde de segunda-feira (3) e acabou morto. Rodrigo deixa a esposa e duas filhas, de 10 e seis anos de idade.


"Um pai sempre presente, que vai fazer muita falta tanto para a esposa quanto para as filhas, as minhas netinhas. Infelizmente, uma vida que foi ceifada pela nossa falta de segurança. Saiu na segunda cedo para trabalhar, como fazia todos os dias, e retornou num carro fúnebre", lamenta o sogro da vítima, Itacir Zago.


Rodrigo morava em Passo Fundo, mas há três meses viajava todos os dias a Ibiraiaras a trabalho. A distância entre as cidades é de 95 km. O esforço era justificado pela vontade de continuar perto da família.


Era só mais um dia de trabalho na pacata cidade de 7.171 habitantes (segundo o IBGE), até que o funcionário foi rendido por assaltantes e levado dentro do porta-malas de um carro. Além do Banco do Brasil, os criminosos atacaram mais um banco e uma lotérica, e fizeram cordão humano com moradores. Durante a fuga, Rodrigo foi atingido por um tiro. Outras três pessoas foram levadas como reféns e depois, liberadas.


No velório, familiares e pessoas próximas se despediram do amigo. "É difícil porque a gente não espera, por mais que a gente saiba que a nossa atividade tenha alguns riscos envolvidos, a gente não espera, não imagina que isso possa acontecer", lastima o amigo da vítima Fausto Razera.


A origem do disparo


A Brigada Militar (BM) abriu um inquérito para investigar de onde partiu o disparo. "Desde ontem mesmo, já foram tomadas todas as providências de polícia judiciária militar para justamente apurar todas as mortes que ocorreram e a ação da Brigada Militar", garantiu o comandante do Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO) Serra, Ricardo Fraga Cardoso.


O delegado João Paulo Abreu afirmou que a Polícia Civil também vai investigar como ocorreu a morte de Rodrigo. "Com tudo que se apurou até agora, é impossível dar conta da origem desse disparo. Mas é claro, tem duas possibilidades, ou esse disparo ter partido dos criminosos ou ter partido da própria Brigada Militar que estava no cerco. São as duas possibilidades que vão ser atacadas por investigação criminal que está sendo desenvolvida pela Polícia Civil", explica.


No confronto com a polícia, seis suspeitos do ataque também foram mortos. Cinco deles já foram identificados pela Polícia Civil. A Brigada Militar apreendeu mais de R$ 115 mil e armas com a quadrilha. Outros dois bandidos seguem sendo procurados, e um homem foi preso.


FONTE: G1RS

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium